Carnaval
Colunas
28/05/2017
Sobre trabalho e valorização

O que eu vou dizer nas próximas linhas não é 'rasgação' pura e simplesmente. É reconhecimento de trabalho e valorização de um talento nosso. Mais que isso. Estarei falando sobre o exemplo clássico de que quem trabalha, consegue.

Pablo Guerreiro vocês já conhecem daqui do Camarote Cultural, onde é um dos nossos colaboradores. Pois bem, esse rapaz aí está fazendo uma temporada de sucesso nos Estados Unidos. Pablo é um dos participantes de um grande congresso de dança, em Los Angeles, o International Samba Congress. Sim. Aquele rapaz saiu de Porto Alegre, foi para o Rio de Janeiro fazer a vida e de lá, ganhou a oportunidade de mostrar o seu talento para o mundo inteiro ver. As suas aulas de samba no congresso são uma das mais concorridas. Afinal, a sua experiência como professor para turistas estrangeiros no Rio de Janeiro lhe garantem um bom currículo.

A trajetória é digna de contos de fadas. Afinal, não é todo dia que um jovem negro conquista um espaço dessa forma. Pablo venceu preconceitos, venceu a subestimação de muita gente, com certeza. Mas acima de tudo isso, ele venceu os próprios medos, superou seus desafios. Venceu a insegurança, a intimidação.

Vendo todo esse talento do Pablo, brilhando nos EUA, acabei me perguntando: por quê o Pablo não continuou dançando aqui em Porto Alegre? Por que ele teve que ir embora? Por que o nosso carnaval não tem mais Pablo Guerreiro? O mesmo talento que eu vi nas comissões de Mangueira e Ilha do Governador, por exemplo, eu gostaria de ver também no Porto Seco, junto com tantos outros que temos aqui ainda...

Talvez por qualificação. Para crescer profissionalmente, ele precisou sair do seu reduto e ir para onde a fonte é próspera. Segundo que, o carnaval de Porto Alegre não sabe incentivar os seus ativistas. Pablo não foi o primeiro e nem será o último a sair daqui por falta de espaço e reconhecimento, seja financeiro ou de trabalho mesmo. Quantos intérpretes, destaques, carnavalescos, estamos vendo saírem daqui e ir para o centro do país, porque Porto Alegre não consegue mantê-los? Quantos mais precisaremos perder para se caia a ficha de que, ou valorizamos os nossos diamantes, ou eles serão capturados e lapidados por outros colecionadores?

Eu não quis fazer deste texto uma notícia direta, divulgando a ida e o trabalho do Pablo para o exterior. Eu quis mesmo dar os parabéns para ele, por representar tão bem o nosso país e principalmente, nosso carnaval lá fora. Em nome da equipe do Camarote Cultural, te parabenizo. Sabemos do teu esforço e qualidade. Sabemos que a bandeira do samba está desfraldada contigo. Mas eu quis também com esse texto alertar o nosso carnaval gaúcho que estamos perdendo verdadeiros tesouros devido a nossa falta de valorização, de incentivo, de perspectiva de crescimento. Nós, enquanto carnaval, estamos perdendo e muito.

E aqui, agora, palavras minhas: és a esperança e referência para muitos outros talentos brilharem. E que Porto Alegre saiba preservar isso. Sucesso meu amigo! Cada vez mais, sucesso!

Fotos: Acervo pessoal/ Pablo Guerreiro

Édy Dutra
Comentar
Nome:
E-mail:
Comentário:
Enviar
1 Comentários
29/05/2017
Marli Ferreira
Sábias palavras. Adorei o texto.